Rainha Elizabeth diz que 2002 foi um dos anos "mais difíceis"

Em sua tradicional mensagem de Natal, a rainha Elizabeth II classificou 2002 como um dos anos "mais difíceis" de sua vida. "Foi um ano repleto de acontecimentos e não me lembro de outro igual", disse a rainha em seu pronunciamento, transmitido ao vivo pela BBC. A rainha falou de "duras perdas pessoais", numa alusão às mortes da rainha-mãe, em fins de março aos 101 anos, e de sua irmã, a princesa Margaret, de 71, em fevereiro. "Ambas tiveram um papel muito importante em minha vida", disse ela. Elizabeth II se referiu também às comemorações de seus 50 anos de reinado. "Elas (as comemorações) me deram um sentimento de aprovação (por parte dos súditos), orgulho e espírito de solidariedade." A rainha não mencionou diretamente as turbulências dos últimos três meses, causadas pelas perdas de processos judiciais contra antigos mordomos da falecida princesa Diana que acabaram revelando alguns escândalos palacianos constrangedores para a família real. Um porta-voz do Palácio de Buckingham disse que 2002 para a família real transcorreu numa verdadeira montanha russa ? com altos e baixos. Segundo pesquisa do instituto Mori divulgada hoje, o interesse dos britânicos pela mensagem da rainha se reduziu pela metade, em comparação a anos anteriores. Apenas 9,8 milhões de pessoas ouviram a mensagem. Há dez anos eram 20 milhões e nos primeiros anos de seu reinado, pelo menos 30 milhões. Depois do pronunciamento, a rainha, seu marido, o príncipe Philip, e os filhos e netos do casal rumaram para a capela do Castelo de Sandringham, em Norfolk, onde assistiram à um ato religioso comemorativo do Natal. Ao contrário de anos anteriores a rainha dirigiu-se à capela de automóvel por causa de uma ruptura de ligamentos em seu joelho. Os demais membros da família foram caminhando. Na capela havia pelo menos 300 pessoas. A americana Marlene Ponce, de 42 anos, conseguiu burlar a segurança policial, abraçou o príncipe William, de 21 anos, filho de Diana e Charles (herdeiro do trono), e lhe deu de presente uma caixa de chocolate, com a seguinte inscrição: "Nós o amamos."

Agencia Estado,

25 Dezembro 2002 | 23h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.