Raio-X em aeroportos não vai detectar líquidos explosivos

De acordo com a Segurança Nacional dos Estados Unidos, as máquinas utilizadas nos aeroportos não são capazes de detectar explosivos. A Administração da Segurança de Transportes ordenou a exposição das bagagens como uma nova forma de segurança.Os procedimentos foram postos em prática depois que a polícia britânica prendeu terroristas que iam explodir 10 aviões sobre o Oceano Atlântico, na última semana. Todos os vôos eram entre Grã Bretanha e Estados Unidos.Dentre os novos procedimentos estão a proibição de líquidos e géis nos aviões, bagagens de mão e a vistoria do dobro de passageiros.Neste domingo, foi dada a ordem de obrigatoriedade de passar sapatos pelo raio-X e passageiros pelos detectores de metais. Isso já acontecia desde 2001, depois da prisão de Richard Reid, que levava explosivos na sola do sapato. Mas o procedimento não era obrigatório.Entretanto, as máquinas utilizadas na maioria dos aeroportos não consegue detectar explosivos em bagagens de mão, maletas e sapatos."Para evitar os ataques, a porcentagem de sapatos submetidos à inspeção deve ser aumentada", afirmou um porta-voz da administração. A agência já está testando equipamentos capazes de detectar os líquidos explosivos.Kip Hawley, agente da Administração da Segurança de Transportes, afirmou que "com um milhão e meio, 2 milhões de passageiros por dia, não é prático passar todos os líquidos pelo detector".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.