Ramón Puerta - playboy, megalatifundiário e peronista

Playboy que adora mulheres (loiras) e charutos, solteiro, pai de dois filhos, dono de um apartamento emParis (quase ao pé da Torre Eiffel) e megalatifundiário.Ele é Ramón Puerta, presidente do Senado, quedesde esta quinta-feira à noite, com a renúncia de Fernando De la Rúa, se transformou no novo presidente argentino.Aos 50 anos, Puerta, um senador do Partido Justicialista (Peronista), era um homem de pouca influêncianacional e sua presença política se restringia às províncias pequenas. Por este motivo, tornou-sepresidente do Senado há onze dias.Em outubro, o peronismo venceu as eleições parlamentares, aumentando sua já ostensiva presença no Senado.Contrariando a tradição de que o cargo só é ocupado por representantes do partido do governo, o peronismo passou por cima do agora extinto governo De la Rúa e decidiu colocar um homem do partido.Para contonar as diversas facções que se digladiavam dentro do partido fundado pelo general JuanDomingo Perón há meio século, decidiram escolher Puerta, um homem de consenso por ser ?inofensivo?para os caudilhos peronistas, como o governador da província de Buenos Aires, Carlos Ruckauf, de Santa Fe,Carlos Reutemann, e de José Manuel de la Sota, de Córdoba. Puerta é um poderoso empresário de erva-mate, com mais de 30 anos de militância no peronismo (justicialismo).Após a renúncia de De la Rúa, Puerto ficou automaticamente à frente do governo argentino, tal como estabelece a linha de sucessão prevista pela Constituição Nacional.A renúncia de De la Rúa surpreendeu Puerta a bordo de um avião a caminho da província de San Luis, a uns 1.000 quilômetros de Buenos Aires, onde tinha previsto reunir-se com governadores do interior do país para decidir uma estratégia frente à gravíssima crise social, institucional, econômica e política que aflige a Argentina.Puerta nasceu em 9 de setembro de 1951, na província de Misiones, cidade de Apóstoles, a 60 quilômetros da capital, Posadas. Apóstoles é conhecida por ser o berço de vários políticos, entre eles os radicais Mario Losada e o enigmático Enrique "Coti" Nosiglia, ex-ministro do Interior do ex-presidente Raúl Alfonsín, com quem mantém uma sólida amizade.De família rica, Puerta cursou seus estudos secundários e universitários na cidade de Buenos Aires. Engenheiro civil de profissão, sempre se dedicou à sua empresa de erva-mate, que produz uma das marcas líderes da popular infusão argentina.Puerta tem dois filhos (Pedro e Lucio), é solteiro e atualmente mantém um romance com Roxana Atamañuk, que foi rainha nacional de beleza da erva-mate em Misiones.O primeiro cargo político que ocupou foi como deputado nacional em 1987, reeleito em 1999. Durante seu mandato, surpreendeu com o gesto de doar seu salário integral de parlamentar para a prefeitura de Apóstoles, decisão que justificou sua sólida fortuna pessoal (seu patrimônio ascende a US$ 6,234 milhões.Em 1991 foi eleito governador de Misiones e reeleito en 1995. Com fama de hábil comunicador - conta-se que, em 1984, o avião em que viajava para o Caribe foi seqüestrado e que ele negociou com êxito com seus captores.Puerta é torcedor fanático do Boca Juniors e amigo pessoal do atual presidente do clube, o empresário Mauricio Macri. A amizade com Macri começou na universidade e tem sido tão estreita desde então que o dirigente desportivo fixou domicílio em Misiones para poder votar nele.Puerta deve convocar em 48 horas a Assembléia Legislativa, que deve decidir se o presidente interino completa o mandato de Fernando De la Rúa até 2003, ou convoca eleições para daqui a três meses.A renúncia de Carlos "Chacho" Alvarez em outubro do ano passado, por causa do escândalo do pagamento de supostos de subornos aos senadores para que votassem a Reforma Trabalhista, abriu para o Peronismo a possibilidade de colocar um de seus homens na linha sucessória presidencial.Até 10 de dezembro passado, foi o presidente do Senado. O pai do presidente Puerta, chamado Federico, era um socialista espanhol que chegou à Argentina em 1913. Sua mãe, Zulema, é filha de uma família italiana radicada en Misiones. A família Puerta chegou a ter três moinhos de erva-mate na província.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.