Ramos Horta e Guterres devem disputar 2º turno no Timor

O primeiro-ministro do Timor-Leste, José Ramos Horta, e o líder do governamental Fretilin, Francisco Guterres, aparecem nesta terça-feira, 10, como os dois principais candidatos à Presidência do país. Ao que tudo indica a decisão ficará para o segundo turno, de acordo com a apuração de votos das eleições de segunda-feira, 9.O padre Martinho Gusmão, porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional, disse em entrevista coletiva que os dois candidatos travam uma forte disputa em Díli, apesar de Ramos Horta liderar após a apuração de 80% desses votos.Junto a eles, Gusmão citou Fernando de Araujo, do Partido Democrático, e Francisco Xavier do Amaral, da Associação Social Democrática Timorense, além de se aventurar a arriscar uma decisão apenas no segundo turno.Caso nenhum candidato consiga mais de 50% dos votos válidos emitidos, será realizado o segundo turno entre os dois mais votados dentro de 30 dias.No entanto, o ex-primeiro-ministro e secretário-geral do Fretilin, Mari Alkatiri, indicou por telefone à Efe que os resultados na capital não devem ser tomados como nacionais, e que Guterres obterá a vitória em todo o país."Lu-Olo (como Guterres é conhecido) não precisa de segundo turno, porque ele e o Fretilin ganharão de forma absoluta", disse Alkatiri.Está previsto que os resultados preliminares sejam divulgados nesta quarta-feira, enquanto a Comissão Eleitoral Nacional planeja anunciar o resultado oficial em 19 de abril.O pleito transcorreu sem incidentes violentos e foi supervisado por observadores nacionais e internacionais, e vigiados por forças militares da ONU, da Nova Zelândia e da Austrália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.