Ramos-Horta pensa em renunciar, diz jornal australiano

Presidente timorense diz que ao voltar para o país não vai prometer que servirá a ele até o fim do mandato

Efe,

08 de abril de 2008 | 01h01

O presidente do Timor Leste, José Ramos-Horta, está considerando a hipótese de renunciar, segundo declarações publicadas nesta terça-feira, 8, pelo jornal The Australian. Ramos-Horta, que está na Austrália se recuperando de um atentado que sofreu há quase dois meses, disse à publicação que quando voltar ao Timor Leste vai falar ao Parlamento, mas não vai prometer ao país que servirá a ele até o fim do seu mandato. O chefe de Estado e prêmio Nobel da Paz de 1996 assumiu a Presidência em 20 de maio de 2007, depois de ganhar o segundo turno das eleições. Esta não é a primeira vez que Ramos-Horta diz ter vontade de deixar a política. Em outras ocasiões, ele disse que faria isso para se dedicar ao ensino e escrever suas memórias sobre a luta pela independência do Timor Leste. "Saberei disso quando voltar para casa, para o local em que atiraram em mim (...). De modo geral, sou uma pessoa muito sensível, mas também posso ser forte e frio", disse o presidente timorense ao Australian.

Tudo o que sabemos sobre:
Timor LesteRamos-Horta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.