Ramos Horta rejeita candidatura a cargo na ONU

Presidente timorense disse que continuará no país; Brasil, Austrália e Portugal apoiavam sua nomeação

Efe,

27 de junho de 2008 | 05h15

O presidente do Timor-Leste, José Ramos Horta, anunciou nesta sexta-feira, 27, que continuará governando seu país e não se candidatará ao cargo de Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. "Decidi não apresentar minha candidatura para o cargo de Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, e ficarei no Timor-Leste no futuro próximo", disse Ramos Horta em entrevista coletiva em Díli. Os Governos de Brasil, Austrália e Portugal tinham expressado seu respaldo à nomeação de Ramos Horta, de 58 anos e Nobel da Paz, para substituir a canadense Louise Arbour.

Mais conteúdo sobre:
ONUTimor-LesteRamos Horta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.