Rapper judeu diz ter tido site invadido por simpatizantes do EI

Segundo Kosha Dillz, hackers deixaram mensagens pró-extremistas em seu site

O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2014 | 16h25

LOS ANGELES - O rapper judeu Kosha Dillz, americano e morador de Los Angeles (EUA), afirmou que hackers invadiram seu site e postaram mensagens pró-Estado Islâmico (EI). O ataque, segundo ele, ocorreu pelo fato de ele "ser judeu e representar o hip-hop, Israel e a paz". 

"Meu site foi atacado pelo EI", escreveu Rami Even-Esh, verdadeiro nome de Dillz, referindo-se ao grupo radical. "Isso é uma promoção boa ou ruim?", questionou, segundo o jornal israelense Haaretz. O ataque teria ocorrido no mês passado e os hackers postaram mensagens pró EI no site.  

O site de celebridades 662online.com publicou a informação, pela primeira vez, no dia 29 de outubro, mas o site Classicalite divulgou mais detalhes, atribuindo o ataque ao Team System DZ, que também teria derrubado seu site. Desde então, o rapper tem falado com os visitantes da sua página pelo perfil do Facebook. 

Em entrevista a um blog do site LA Weekly, o rapper disse ter descoberto de que se tratava de simpatizantes do EI porque recebeu uma mensagem pelo SoundCloud, de divulgação de música, de uma pessoa reivindicando o ataque. 

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelrapperEI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.