Raptores ameaçam jornalista caso ela coopere com EUA

Os seqüestradores da americana Jill Carroll, libertada no Iraque na quinta-feira após três meses de cativeiro, ameaçaram a jornalista de morte caso ela coopere com os americanos ou vá até a "Zona Verde" iraquiana. Segundo um vídeo postado na Internet pelos raptores, Carroll foi solta porque "o governo americano realizou uma de nossas demandas ao libertar algumas de nossas mulheres prisioneiras". Porém, segundo o embaixador norte-americano no Iraque, Zalmay Khalilzad, não há conexão alguma entre a libertação de várias detentas iraquianas e a liberdade de Carroll. "O que fizemos antes não tem nenhuma ligação com Jill Carroll", afirmou Khalilzad. "Ainda temos algumas detentas - quatro - e isso é tudo que posso dizer." Carroll, que foi seqüestrada em 7 de janeiro, disse na quinta-feira que não foi machucada por seus raptores. Ela acrescentou que não sabe porque foi libertada.

Agencia Estado,

31 Março 2006 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.