Patricia de Melo Moreira/AFP
Patricia de Melo Moreira/AFP

Rastreamento obrigatório para conter coronavírus causa indignação em Portugal

Governo quer que toda a população faça download do aplicativo 'StayAway Covid' para que o usuário evite proximidade com alguém que tenha o vírus

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2020 | 16h40

LISBOA - Ao tentar tornar obrigatório o download de um aplicativo de rastreamento para conter a epidemia de covid-19, uma medida inédita na Europa, o governo português provocou protestos e ignorou as recomendações de Bruxelas. 

"Odeio ser autoritário, mas temos que controlar essa pandemia", defendeu-se na quinta-feira 15 o chefe do governo, Antonio Costa. 

O socialista surpreendeu ao anunciar um dia antes que pediria ao parlamento para legislar "com urgência" para tornar obrigatório o aplicativo de rastreamento lançado no início de setembro. 

O aplicativo, chamado StayAway Covid, ajuda a evitar pessoas que tiveram contato recente com algum infectado por coronavírus.

Até o momento, já foi baixado por cerca de 1,7 milhão dos 10 milhões de habitantes de Portugal, o que é insuficiente para ser eficaz, segundo o governo. O texto deve ser votado na próxima sexta-feira, 23, pelos deputados e pelo executivo de Costa, minoria na assembleia. 

Para a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD), a obrigatoriedade do pedido levanta diversos problemas éticos e de privacidade, explicou à Agência France Press a sua porta-voz, Clara Guerra.

Portugal enfrenta atualmente uma multiplicação do número de casos diários da covid-19, que nesta sexta-feira, 16, atingiu um novo recorde com 2.608 novas contaminações em 24 horas. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.