Raúl Castro diz que Cuba está disposta a discutir 'tudo'

Na véspera da abertura da 5ª Cúpula das Américas, o presidente cubano, Raúl Castro, declarou ontem, na Venezuela, estar disposto a discutir ?tudo? com os Estados Unidos, segundo a agência de notícias Associated Press. A declaração é uma resposta ao presidente dos EUA, Barack Obama, que horas antes, numa entrevista à TV CNN em espanhol, cobrou uma contrapartida do regime cubano à iniciativa americana de eliminar restrições a remessas de divisas e a viagens a Cuba.

AE, Agencia Estado

17 de abril de 2009 | 07h51

?Mandei dizer ao governo americano, em privado e em público, que estamos dispostos a discutir tudo - direitos humanos, liberdade de imprensa e presos políticos?, disse Raúl em discurso durante reunião na Venezuela. Ele acrescentou que Cuba está aberta a discutir ?em igualdade de condições, sem a menor sombra sobre nossa soberania e sem a mínima violação do direito de autodeterminação do povo cubano?.

Obama disse na entrevista esperar que Havana permitisse que cubanos viajem ao exterior. No Haiti, a secretária americana de Estado, Hillary Clinton, ampliara as demandas da Casa Branca e cobrou a ?democratização de Cuba? e a ?libertação de presos políticos?. A exigência de contrapartidas pela novo governo americano deverá repercutir na cúpula de Trinidad e Tobago que, entre hoje e domingo, selará o primeiro contato entre Obama e os líderes da América Latina e do Caribe. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUARaúl Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.