Raúl Castro e García Márquez negociam paz na Colômbia

O presidente em exercício de Cuba, Raúl Castro, e o escritor colombiano Gabriel García Márquez se reuniram no dia 14 de março em Havana com delegados do governo da Colômbia e da guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN), para ajudar a negociar o processo de paz, revelaram nesta quinta-feira, 29, em Bogotá porta-vozes governamentais.Na reunião, Raúl Castro reafirmou em nome do governo do seu irmão Fidel Castro o "apoio decidido e respeitoso de Cuba aos esforços de paz dos colombianos", informou o Escritório do Alto Comissariado para a Paz (OACP).O encontro com o líder cubano e outro apenas com García Márquez e as duas delegações foram mencionados num relatório governamental sobre a rodada de diálogo entre governo e ELN em Havana, entre 22 e 28 de fevereiro.A reunião com Raúl Castro aconteceu "na noite de 14 de março", segundo a OACP, dirigida por Luis Carlos Restrepo, porta-voz do governo do presidente Álvaro Uribe para as conversas de paz com os grupos armados ilegais.Restrepo lidera a missão governamental no diálogo de paz com o ELN. A última rodada contou com a participação de Pablo Beltrán, segundo em comando do grupo, fundado em 1964 e com cerca de 5 mil combatentes.o OCPA revelou que "nos dias 13 e 14 de março, o governo, representado por Luis Carlos Restrepo, e o ELN, através de Pablo Beltrán, se reuniram com o mestre Gabriel García Márquez em Havana".García Márquez "se ofereceu para ajudar com entusiasmo e patriotismo no processo de paz" que o governo e o ELN negociam desde dezembro de 2005.No documento, o órgão informou que a rodada de fevereiro se concentrou nos pontos de consenso: uma interrupção bilateral de hostilidades e a convocação de uma grande convenção nacional.Os dois assuntos foram considerados fundamentais para o "acordo base" discutido na quinta reunião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.