Raúl Castro: medidas econômicas reforçam socialismo

O presidente de Cuba, Raúl Castro, alertou aos congressistas neste sábado que está em jogo o futuro da revolução do país enquanto o governo tenta aplicar amplas reformas econômicas, e acrescentou que as mudanças buscam fortalecer o socialismo, não substituí-lo.

AE, Agência Estado

18 de dezembro de 2010 | 17h39

Cuba anunciou que demitirá meio milhão de funcionários de empresas estatais e começou a reduzir os subsídios dos quais os cubanos dependem para compensar os salários, que em média são de apenas US$ 20 mensais.

Castro disse que as mudanças são necessárias para elevar significativamente a baixa produtividade e que, uma vez que elas ocorrerem, o nível de vida começará a subir. Ele pediu a seus compatriotas que aceitem as medidas e advertiu que qualquer um que não o fizer ficará relegado.

Em discurso de duas horas no encerramento de uma reunião semestral da Assembleia Nacional da ilha, Castro disse que o futuro da revolução está em jogo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CubasocialismoRaúl Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.