Ramon Espinosa|AP Photo
Ramon Espinosa|AP Photo

Raúl Castro proíbe o uso do nome de Fidel em locais públicos e monumentos

A proibição seria um desejo do próprio ex-líder de Cuba que não desejava incentivar o culto à personalidade

Associated Press, O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2016 | 11h06

SANTIAGO - O presidente cubano Raúl Castro anunciou na noite de sábado que Cuba proibirá que ruas, lugares públicos, praças ou monumentos sejam nomeados com o nome de Fidel Castro por desejo expresso do próprio líder revolucionário de evitar culto à personalidade.

"O líder da Revolução rejeitava qualquer tipo de manifestação de culto à personalidade e foi consequente com essa atitude até suas últimas horas de vida", afirmou Raúl em discurso durante o último ato de homenagem a Fidel, realizado na cidade de Santiago de Cuba, antes de suas cinzas serem enterradas no cemitério Santa Ifigênia de Santiago, terminando o período oficial de luto.

Fidel Castro, que deixou o cargo em 2006 depois de adoecer, morreu no dia 25 de novembro aos 90 anos. Ele manteve seu nome durante cerca de meio século no poder porque ele disse que queria

evitar o desenvolvimento de um culto à personalidade. Em contraste, as imagens de seus companheiros revolucionário lutadores Camilo Cienfuegos e Ernesto "Che" Guevara tornaram-se comum em toda Cuba nas décadas que se seguiram à sua morte. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.