Raúl volta a defender reforma econômica

Num de seus mais críticos discursos dos últimos meses, o presidente de Cuba, Raúl Castro, deu a entender que aprofundará as reformas econômicas na ilha, apesar de ressaltar que não abrirá mão do socialismo. "Corrigimos ou afundamos", declarou, num discurso de duas horas na Assembleia Nacional. O governo anunciou em outubro que demitirá meio milhão de funcionários e reduzirá os subsídios da economia da ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.