´Razões nacionais´ adiam anúncio do novo governo da ANP

Ahmed Yousef, assessor do primeiro-ministro designado da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ismail Haniyeh, disse nesta quarta-feira, 7, à imprensa que, "por razões nacionais", não poderá anunciar a criação de um novo governo de unidade até o fim da próxima semana.Yousef não explicou quais são essas razões, e a informação -atribuída a Haniyeh, do movimento islâmico Hamas - causava surpresa em alguns meios jornalísticos, pois há poucos dias surgiu a formação da nova coalizão de governo.Segundo fontes palestinas, ouvidas nesta quarta pela rádio pública israelense, o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, que negocia com Haniyeh a integração do próximo gabinete, quer reunir-se em Jerusalém com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, antes de fazer o anúncio.A agência palestina Ma´an, com sede na cidade cisjordaniana de Ramala, informa que existem dois problemas ainda sem solução para a formação do novo governo: quem será o vice-primeiro-ministro (que deve ser um membro do Fatah) e quem assumirá o Ministério do Interior, que controlará os órgãos de segurança palestinos com mais de 25% do orçamento da ANP.Fontes do governo israelense previam o encontro de Olmert comAbbas, líder do movimento nacionalista Fatah, no domingo, mas a data oficial da reunião - a terceira entre ambos desde o fim de dezembro - ainda não foi definida."A princípio, podemos dizer que será na próxima semana", disse aporta-voz do governo israelense para a imprensa estrangeira, MiriEisin. A data exata, acrescentou, "talvez seja anunciada ainda na quarta".Abbas e Haniyeh já se reuniram três vezes desde domingo em Gaza, e a previsão é de que ocorra um novo encontro.O presidente interino do Conselho Legislativo Palestino (CLP),Ahmad Bahar, que mora na cidade de Khan Yunes da Faixa de Gaza, acredita que a coalizão entre seu movimento, o Hamas e o Fatah será concretizada em meados da próxima semana.Bahar disse à agência Ma´an que a maior parte das desavençasentre Abbas e Haniyeh foram superadas, exceto as divergências em torno de quem será o ministro do Interior.De acordo com o presidente interino do CLP, o principal candidato para a função é Hamuda Jarwan. No entanto, fontes ligadas à Presidência informaram que Haniyeh ofereceu na última terça-feira, 6, à noite, a Abbas uma lista de dez candidatos para o cargo.Bahar disse também que, na sua opinião, o Conselho Legislativonão deve proporcionar o voto de confiança ao novo Executivo emformação antes que Israel liberte 40 de seus 132 membros, detidos no ano passado após o seqüestro do soldado isaelense Gilad Shalit por comandos palestinos de Gaza."Isso é o que recomendamos, mas os representantes do Conselho têm liberdade para votar", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.