RCTV vai enfrentar Chávez ´por vias legais´, diz diretor

O diretor geral da Radio Caracas Televisión (RCTV), Marcel Granier, disse nesta quinta-feira que pretende enfrentar "por vias legais" a decisão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de não renovar a licença de transmissão do canal, que vence em maio."O governo da Venezuela está violando flagrantemente a Constituição, assim como os acordos internacionais", afirmou o executivo em uma coletiva de imprensa.Segundo Granier, a atual concessão do canal vai até 2022.Fundada em 1953, a RCTV é o mais antigo canal privado de televisão da Venezuela e o segundo em audiência.ProtestoDepois da coletiva, dezenas de funcionários da emissora se reuniram do lado de fora dos estúdios em um protesto contra os planos do governo venezuelano.Durante sua campanha eleitoral, no ano passado, o presidente Chávez disse que consideraria a possibilidade de convocar um referendo para a renovação das licenças de alguns meios de comunicação privados.Pouco depois, no entanto, Chávez anunciou que não renovaria as licenças de várias emissoras aliadas da oposição, entre elas a RCTV.O presidente disse que a programação da RCTV produzia "veneno" e "espetáculos grotescos" e que a emissora "não serve ao povo".Repórteres Sem FronteirasA organização internacional Repórteres Sem Fronteiras criticou a política de comunicação de Chávez.Em uma carta aberta, a organização questionou a "decisão unilateral" do presidente sobre a renovação da licença da RCTV.Segundo a organização. "uma democracia deve estar exposta à crítica dos meios de comunicação" e a decisão do governo "limitaria o pluralismo editorial na Venezuela".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.