Realizada primeira reunião sobre relatório da comissão do 11/9

Alertando que a burocracia deixa osEstados Unidos perigosamente vulneráveis a outro ataqueterrorista, líderes da comissão bipartidária que investigou osatentados de 11 de setembro conclamaram hoje os senadores aapoiar suas propostas de adotar mudanças profundas nos serviçosde inteligência dos EUA. Em uma audiência realizada durante o recesso de verão do Capitólio, foram discutidas hoje, em uma primeirasessão, as duas mais complexas propostas da comissão: criação deum novo centro nacional de contraterrorismo; e uma novadiretoria de inteligência nacional para comandar as 15 agênciasde espionagem dos EUA. Caso sejam implementadas, tais reformas tirariam o poder deduas forças dominantes da comunidade de inteligência dos EUA, aCIA e o Departamento de Defesa. "Concluímos que a comunidade de inteligência não realizaráseu trabalho necessário enquanto não tivermos alguém de fato nocomando", disse Lee Hamilton, o vice-presidente democrata dacomissão. "Este não é o caso agora, e pagamos um preço porisso". Sob uma forte pressão pública e política, o presidente GeorgeW. Bush determinou a criação de um grupo de trabalho paraestudar as recomendações feitas pela comissão e confeccionarordens presidenciais para implementar imediatamente algumas daspropostas da comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.