Reaparece no Iraque vaso sagrado de 5.200 anos

O Jarro de Warka, uma das peças mais valiosas do Museu Nacional do Iraque e que havia desaparecido, foi devolvido nesta quinta-feira por três homens, que o levaram ao museu no porta-malas de um automóvel. Uma declaração das forças de ocupação americanas no Iraque disse que o vaso sagrado, além de outros objetos roubados de menor valor, foi devolvido ao pessoal de segurança do museu. "Esta é uma das peças mais valiosas do museu", disse o assessor cultural do governo provisório da coalizão no Iraque, Pietro Cordone, e sua devolução "é motivo de comemoração para todo mundo". O jarro, que data de aproximadamente 3.200 anos antes de Cristo, é talhado em pedra e apresenta imagens de homens em presença de deuses, entre eles a deusa Inin, representada por dois feixes de junco que simbolizam a entrada de um templo. Foi descoberto em 1940 por uma equipe de arqueólogos alemães perto da cidade de Samawa, no sul do Iraque. A declaração da coalizão diz que o vaso foi devolvido "a salvo", mas não deu detalhes sobre seu estado. O Museu Nacional, que abrigava coleções milenares das civilizações suméria, assíria e babilônica, além de valiosos textos islâmicos, foi saqueado em meio ao caos e à anarquia que se seguiram à tomada de Bagdá pelas forças anglo-americanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.