Rearmamento do Japão reabre feridas

Debate sobre mudança artigo constitucional que reduz as Forças Armadas japonesas traz de volta polêmicas do passado militarista.Essa rara conversação nacional foi provocada por uma proposta anterior feita pelo novo primeiro-ministro, Junichiro Koizumi, destinada a pôr fim a décadas de pacifismo oficial e a promover a revisão da Constituição japonesa do pós-guerra, escrita pelos americanos, que proíbe o Japão de formar um Exército. Trata-se de uma discussão limitada, em grande parte, às pessoas que viveram durante a guerra. Os japoneses mais jovens mostram, na melhor das hipóteses, um conhecimento superficial da conquista imperial japonesa da década de 30, em parte porque o currículo de história, nas escolas, termina antes daquele período. E a apatia em relação às diretrizes políticas e à política, que caracteriza muitos japoneses nascidos depois da 2.ª Guerra Mundial, abrange também a questão de mudança da Constituição.Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.