''Rebelde'' ElBaradei deixa a AIEA

O homem que ousou desafiar o poder dos EUA e do governo de George W. Bush, Mohamed ElBaradei, está deixando um dos postos-chave da questão nuclear: a direção da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Advogado, jurista e diplomata egípcio, ele ocupa o cargo desde 1997. Em 2003, contra as pressões exercidas por Washington, o diretor foi à ONU reafirmar suas dúvidas sobre a existência de armas de destruição em massa em poder de Saddam Hussein - o motivo oficial da guerra do Iraque. Por sua determinação, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2005. Hoje, o diplomata é um dos críticos da política norte-americana para com o Irã e a Coreia do Norte, Estados que desenvolveriam programas nucleares para fins militares.Para seu lugar, foi indicado o japonês Yukiya Amano, cujo nome deve ser aprovado na conferência-geral de setembro. "Dedicarei meus esforços para acelerar e ampliar a contribuição da energia atômica para a paz, a saúde e a prosperidade", afirmou Amano, sem surpresas, dia 3, após sua nomeação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.