Rebeldes abandonam o porto de Monróvia

Rebeldes cederam o controle do vital porto da capital da Libéria às forças oeste-africanas e americanas nesta quinta-feira e começaram a retirar-se de Monróvia, abandonando o cerco de dois meses à cidade castigada pela fome. Multidões agitadas e contidas dos dois lados saudaram enquanto avistaram dois jatos de combate dos EUA aterrissando e decolando em seguida à sua frente.A abertura das linhas de frente ocorreu no momento em que os marines americanos chegavam ao aeroporto de Monróvia, a 45 minutos de distância da capital. Os EUA haviam dito na quarta-feira que enviariam 200 soldados, incluindo uma força de deslocamento rápido de 150 combatentes, em apoio à força de paz deslocada há dez dias para a Libéria. Tais acontecimentos se seguiram à renúncia e partida do país, na segunda-feira, do presidente Charles Taylor, um ex-senhor da guerra responsabilizado por 14 anos de conflitos na Libéria. O presidente americano, George W. Bush, havia se recusado a enviar um número significativo de tropas até a saída de Taylor, e os rebeldes haviam estabelecido pré-condição semelhante para ceder o território que ocupavam na cidade. O controle do porto pelos rebeldes deixou centenas de milhares de moradores do lado da cidade ocupado pelo governo sem ter o que comer, a não ser vegetais e forragem, e a população local vinha visivelmente definhando nos últimos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.