Rebeldes acusam Exército cingalês da morte de 200 civis

O portal TamilNet assegurou que outros 330 civis ficaram feridos na ofensiva

EFE

08 de março de 2009 | 05h31

A guerrilha tâmil acusou o Exército cingalês de ter matado mais de 200 civis nos últimos três dias, período no qual, segundo assegurou neste domingo o Governo do Sri Lanka, suas tropas mataram uma centena de rebeldes tâmeis. O portal da internet "TamilNet", acusou o Exército cingalês de atacar precisamente estas zonas seguras e ter matado 208 civis nos últimos três dias, 53 deles no sábado. "TamilNet" assegurou que outros 330 civis ficaram feridos neste período, mostrou fotografias e descreveu tanto ataques contra hospitais como contra "bunkers" onde supostamente se escondiam civis. Embora as zonas do nordeste da ilha nas quais o Exército leva acabo "disparos e bombardeios indiscriminados", segundo "TamilNet", são diferentes às que o Governo identifica como zonas de combate com o LTTE. O LTTE já resiste apenas em várias zonas do distrito de Mullaitivu e o Exército assegurou estar na"fase final" de sua ofensiva ao ter confinado a guerrilha a um território de "45 quilômetros quadrados".

Tudo o que sabemos sobre:
LTTESRI LANKATÂMIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.