Rebeldes alcançam controle quase total da cidade de Ajdabiya

Porta-voz afirmou que espera ter o controle completo da cidade no início da tarde

26 de março de 2011 | 07h01

BENGHAZI - A estratégica cidade de Ajdabiya, 160 quilômetros ao sudoeste de Benghazi, e onde há duros combates, está quase sob o controle total dos rebeldes líbios, que conquistaram o acesso pelo leste, disse neste sábado, 26, o porta-voz dos rebeldes, Mustafa Geriani.

"Ajdabiya está mais ou menos sob nosso controle. Falta limpar algumas ruas, porque ainda há gente de Kadafi em alguns pontos", assinalou Geriani, que avaliou que a luta está sendo "feroz".

O porta-voz acrescentou que esperam ter 100% do controle da cidade no início da tarde.

Geriani confirmou as informações antecipadas pela rede de televisão Al Jazeera indicando que durante a madrugada deste sábado os rebeldes conseguiram entrar na localidade depois de terem tomar o acesso pelo leste.

Segundo a "Al Jazeera", os rebeldes fizeram vários prisioneiros e mataram um número não preciso de combatentes das forças de Kadafi.

Os milicianos, que desde o começo da rebelião haviam combatido completamente desorganizados, desta vez agiram de noite para evitar a precisão e o poderio dos carros de combate e a artilharia que enfrentaram em inferioridade de condições durante esta semana.

A aviação da coalizão internacional lançou nesta sexta-feira sucessivos ataques sobre as posições das brigadas de Kadafi, que controlavam o centro da cidade e mantinham carros de combate e unidades blindadas em alguns de seus acessos para sustentar o controle viário do leste do país.

Os rebeldes prepararam o assalto durante toda a tarde de ontem, na qual o armamento pesado disponível foi trasladado desde Benghazi até as imediações de Ajdabiya.

As forças rebeldes só podem avançar com o apoio da aviação internacional, já que a qualidade de seu armamento é consideravelmente inferior.

A cidade de Ajdabiya precisou ser evacuada pelos rebeldes há oito dias após a contra-ofensiva de Kadafi, que os fez retroceder mais de 230 quilômetros desde que foram rechaçados em Ben Jawad, a posição mais avançada ao oeste em sua tentativa de chegar a Trípoli.

As forças de Kadafi alcançaram no sábado passado atacar Benghazi, a capital rebelde, onde receberam o duro castigo dos primeiros bombardeios aéreos e tiveram que deter sua ofensiva e retornar a esta posição, da qual partem as estradas que conduzem a Benghazi, Tobruk e à fronteira com o Egito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.