Rebeldes angolanos lamentam morte de Savimbi

Os rebeldes da Unita expressaram sua "profunda comoção" com a morte de seu líder Jonas Savimbi, mas advertiram que continuarão lutando contra o governo. Enquanto isso, o presidente angolano, José Eduardo dos Santos, partia para uma viagem a Portugal e aos Estados Unidos, onde, espera-se, apresentará seus planos para garantir a paz. Segundo o representante da Unita em Portugal, Carlos Morgado, o grupo está "profundamente emocionado" com a morte de Savimbi, ocorrida em um tiroteio com o exército. As forças armadas dizem que Savimbi foi morto na sexta-feira."De agora em diante, o cenário mudou, teremos que encontrar novos caminhos, mas isso não significará nunca uma rendição diante dos militares. Não haverá vitória militar", disse Morgado ao canal português de notícias SIC. "A morte de Savimbi é mais uma baixa em uma guerra que já deveria ter terminado há muito tempo", disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Richard Boucher. Ele conclamou as partes a construírem a paz para o povo angolano.Boucher disse também que o presidente dos EUA, George W. Bush, aproveitará a reunião com o líder angolano, marcada para quinta-feira, para se certificar sobre qual o papel dos EUA na pacificação de Angola e da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.