Rebeldes anunciam batalha para 'libertar' capital síria'

Rebeldes do Exército Livre Sírio declararam uma batalha para "libertar" Damasco e também afirmaram ter derrubado um helicóptero na capital síria. A aeronave armada caiu na praça Sabaa Bahrat Square, onde o regime do presidente Bashar Assad tem realizado manifestações para conter os protestos contrários ao regime.

AE, Agência Estado

17 de julho de 2012 | 20h28

Pelo menos oito pessoas morreram quando tanques e helicópteros foram enviados para o bairro de Qaboun. Os confrontos se concentraram nos bairros de Kfar Souseh, Nahr Aisha, Midan e Qadam, no sudoeste da capital, mas houve registros de violência também em Hajar e Aswad, informou o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos. Combatentes afirmaram que helicópteros atacaram Mezze, área nobre onde moram algumas das autoridades do governo, provocando danos num prédio perto da mesquita de al-Akram.

Um oficial do Exército sírio disse à agência France Presse que as tropas "estão no controle da situação" e "expulsaram terroristas, que buscaram refúgio em apartamentos e mesquitas".

A oposição síria enviou mais combatentes para a capital, depois de o governo ter usado helicópteros armados para atacar rebeldes na periferia de Damasco, disseram líderes opositores. No terceiro dia de intensos confrontos, combatentes rebeldes afirmam ter tomado partes do sul da capital nesta terça-feira. Também foram registrados confrontos perto do Parlamento, um desafio sem precedentes ao governo de Assad.

Esses acontecimentos representam o avanço mais ousado da oposição na direção de Damasco, uma aparente tentativa de testar a vontade do regime de usar mais forças na capital, que abriga milhares de sírios que buscaram refúgio da violência, que se espalha pelo restante do país. Famílias aterrorizadas fugiram da cidade ou estavam se preparando para fugir a qualquer momento. Moradores preparam "malas de emergência" no caso de uma saída repentina.

"As ruas estão completamente vazias e as lojas fechadas. As pessoas estão aterrorizadas com o que virá", disse o ativista de Qaboun, Omar Qabouni. Tropas do Exército também montaram vários postos de verificação e faziam revistas em carros, numa tentativa de isolar a capital de áreas tomadas pelos rebeldes nos subúrbios.

Nesta terça-feira, brigadas combatentes de Homs - o epicentro da resistência armada contra Assad - se transferiram para Damasco, informaram líderes rebeldes. Combatentes opositores de Homs estão entre os melhor equipados no conflito sírio e possuem tanto armas leves quanto mísseis antitanque contrabandeados pelas fronteiras do Líbano e da Turquia. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaviolênciarebeldes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.