Rebeldes anunciam queda de Sirte em seu avanço rumo a Trípoli

Ofensiva rebeldes permitiu avanço de 450 quilômetros nos últimos dois dias

Efe

28 de março de 2011 | 05h28

BENGHAZI - Os rebeldes líbios tomaram nesta segunda-feira, 28, Sirte, a cidade natal de Muammar Kadafi, a meio caminho entre Benghazi e Trípoli, informaram fontes dos revolucionários.

 

Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

 

"Tomamos Sirte graças a Deus", disse um dos rebeldes de Benghazi, que se identificou como Salah.

 

Após o anúncio da tomada, puderam ser escutados esta madrugada em Benghazi o som de disparos ao ar e de foguetes por parte dos rebeldes para comemorar.

 

Por enquanto não há confirmação independente da queda do último reduto de Kadafi antes de Trípoli, mas a agência Jana informou sobre os bombardeios esta noite em Sirte e em Trípoli, que, como esperavam os rebeldes, pretendiam facilitar sua ofensiva sobre a cidade portuária.

 

 

A agência estatal líbia assegurou que os alvos dos aviões da coalizão eram civis e militares.

Os milicianos conseguiram tomar neste domingo Ben Jawad, a meio caminho entre Sirte e Ras Lanuf, o enclave petrolífero que caiu em suas mãos da mesma forma que Brega, outro importante povoado produtor.

 

Os rebeldes líbios desviaram sua incursão rumo a Sirte pelo sudoeste através da localidade de Naufaliya, cerca de 147 quilômetros da cidade considerada o reduto tribal de Kadafi, embora segundo os rebeldes haja cisões entre eles.

 

O enorme impulso da ofensiva rebelde lhes permitiu percorrer mais de 450 quilômetros desde que partiram de Benghazi no sábado, com a ajuda da aviação internacional, o que anulou a capacidade defensiva dos defensores do governo e estes tiveram que se retirar em debandada.

 

Sirte, situada a cerca de 450 quilômetros ao leste de Trípoli e onde Kadafi costumava receber e tratar com atenção seus hóspedes preferidos, é considerada um de seus principais redutos tribais e pode decantar a sorte de um regime que dura mais de 41 anos.

 

Sede de alguns departamentos ministeriais, com um majestoso centro de convenções onde Kadafi realizava seus devaneios como líder regional pan-árabe com aspirações continentais, aloja também grandes depósitos de armamento.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.