Rebeldes atacam cidade de Kadafi

Tomada de Sirte é estratégica para o avanço rumo a Trípoli; coalizão ataca depósito de armas

REUTERS

28 de março de 2011 | 09h12

  Rebeldes descansam antes de ofensiva a Sirte. Finbarr O'Reilly/Reuters

BENGHAZI - Um fluxo contínuo de rebeldes em picapes com metralhadoras na caçamba seguiu para Sirte, cidade natal do ditador líbio, Muamar Kadafi, nesta segunda-feira, procurando ampliar seu avanço rumo ao oeste.  Um porta-voz em Benghazi disse que os rebeldes sediados no leste da Líbia capturaram Sirte na segunda, mas um correspondente da Reuters na cidade afirmou não haver sinais de que forças rebeldes estejam no controle.               

         

Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

                               

Os rebelados faziam fila por gasolina na cidade antes de seguir para o oeste em dezenas de caminhonetes. Encorajados pelos ataques aéreos de aliados ocidentais contra as forças de Kadafi, os rebeldes líbios abriram caminho pelo oeste, ao longo da costa do Mediterrâneo, para retomar uma série de cidades em curto prazo.           

                  

Revertendo perdas anteriores em uma insurgência que dura cinco semanas, eles retomaram o controle de todos os principais terminais petrolíferos do leste líbio, como Es Sider, Ras Lanuf, Brega, Zueitina e Tobruk. A rede de TV Al-Jazira relatou que os rebeldes assumiram a cidade de Nawfaliyah, a cerca de 120 km de Sirte.        

 

                 

Como berço de Kadafi e sede de uma importante base militar, Sirte - quase no meio caminho entre o encrave rebelde de Benghazi e de Trípoli - tem grande valor simbólico e estratégico. Se tombar, os rebeldes ganham uma enorme vantagem psicológica e a estrada rumo à capital estará ao seu alcance.      

                          

Um comboio de 20 veículos militares, incluindo armas antiaéreas montadas em caminhões , saindo de Sirte e seguindo rumo ao oeste na direção de Trípoli, assim como dezenas de carros particulares levando famílias inteiras e carregados com pertences pessoais.         

                       

"Queremos ir para Sirte hoje. Não sei o que vai acontecer", disse Marjai Agouri, rebelde de 25 anos, enquanto esperava com outros 100 revoltosos nas imediações de Bin Jawad com três lançadores de foguetes múltiplos, seis armas antiaéreas e cerca de uma dúzia de caminhonetes com  metralhadoras montadas na caçamba.      

                         

O progresso da força de rebeldes voluntários mal armados e sem coordenação dá a entender que os ataques aéreos ocidentais estão alterando a dinâmica do campo de batalha dramaticamente no leste. 

 

Cerco a Misrata         

                    

Kadafi , que combate o levante contra seu governo de 41 anos, parece estar novamente se entrincheirando no oeste, onde suas forças enfrentaram rebelados no domingo no centro de Misrata, terceira maior cidade da Líbia. Parte da cidade está sob controle do ditador e outra ainda é dominada pelos rebeldes.            

 

               

Um porta-voz da oposição em Zintan, outra cidade do oeste, disse que forças leais a Gaddafi bombardearam a cidade com foguetes no início da segunda-feira, segundo relatou a Al-Jazira.

 

Bombardeio         

                    

A agência de notícias estatal líbia Jana disse que forças ocidentais bombardearam a cidade de Sabha, no sul, na madrugada desta segunda-feira, fazendo muitas baixas.  O ministério da Defesa britânico confirmou o ataque.

 

"Mísseis Storm Shadow foram lançados contra depósitos de munição em Sabra usados para abastecer tropas de Kadafi no norte", diz comunicado.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.