Rebeldes atacam depósito de munição dos EUA em Bagdá

Uma base militar americana na região sul de Bagdá foi atingida por um morteiro disparado por rebeldes iraquianos. O ataque desencadeou a detonação de cápsulas de tanque e artilharia, provocando explosões que sacudiram prédios a diversos quilômetros de distância da base, informou nesta quarta-feira o comando militar dos Estados Unidos. Não houve vítimas.Acredita-se que morteiro de 82 milímetros tenha sido disparado de uma área residencial próxima da Base Operacional Avançada Falcon por volta das 22h40 da noite de terça-feira, declarou o tenente coronel Jonathan Withington, porta-voz da base."Informações coletadas pelos serviços secretos indicam que civis simpáticos a uma milícia foram os responsáveis pelo ataque da noite passada", disse ele na manhã desta quarta-feira. Withington não entrou em detalhes.O Exército Islâmico no Iraque, um grupo nacionalista contrário à ocupação, reivindicou a autoria do ataque em uma mensagem publicada em uma página na internet conhecida por divulgar mensagens de grupos rebeldes iraquianos."Com a ajuda de Deus, três morteiros e dois foguetes do Exército Islâmico atingiram uma base dos EUA", dizia a mensagem. "Os foguetes e as bombas atingiram depósitos de munição, detonando-os. Os sons da explosão foram ouvidos por toda Bagdá", prosseguia o texto.Apesar da reivindicação, não foi possível confirmar a veracidade da alegação junto a fontes independentes.Segundo Withington, o ataque não afetará as operações americanas e não tem efeito estratégico. "Os serviços essenciais da base não foram afetados", assegurou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.