Rebeldes atacam Otan e comboio de governador no Afeganistão

Em nova onda de violência, taleban usando fardas do Exército do país abrem fogo contra forças internacionais

Associated Press e Agência Estado,

22 de agosto de 2007 | 10h05

Militantes do Taleban vestidos em uniformes do Exército afegão atacaram nesta quarta-feira uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em uma área remota do leste do Afeganistão, provocando a morte de dois soldados afegãos e ferindo 11 militares estrangeiros, informou a aliança atlântica por meio de um comunicado. Mais cedo, também no leste afegão, um militante suicida atacou o comboio de um governador da região, provocando a morte de quatro pessoas e ferindo oito. O governador de Khost, Arsallah Jamal, escapou ileso. A base atacada pela milícia fundamentalista islâmica Taleban fica na província de Nuristão, situada em uma região montanhosa e remota. Os militantes aproximaram-se da base vestindo fardas do Exército do Afeganistão, dizia uma nota da Otan. A aliança atlântica informou que dois soldados afegãos morreram e 11 militares da entidade ficaram feridos. A nacionalidade dos soldados feridos não foi revelada. Americanos compõem a maior parte dos soldados estrangeiros posicionados na região. Em Khost, um homem-bomba atacou o comboio de seis veículos no qual viajava o governador Jamal. O ataque ocorreu perto da capital da província, disse Zemarai Bashary, porta-voz do Ministério de Interior. "Foi um ataque contra mim", disse Jamal durante conversa por telefone com a Associated Press. Dos quatro mortos, dois eram guarda-costas de Jamal. Segundo um comunicado do Ministério de Interior, os outros dois passavam pelo local no momento do ataque.Acredita-se que o Taleban e a rede extremista Al-Qaeda sejam bastante atuantes em Khost. No sul afegão, homens armados seqüestraram Dur Ali Shah, prefeito de Gereshk, uma cidade da província de Helmand. Ali Shah viajava acompanhado de seus dois filhos e de um outro homem quando foi seqüestrado perto de Lashkar Gah, a capital de Helmand, disse Abdul Manaf Khan, um alto funcionário do governo local. Apenas o prefeito foi capturado pelos seqüestradores. Autoridades locais iniciaram uma investigação logo a seguir, prosseguiu Khan. 

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoatentadoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.