Rebeldes centro-africanos não tomarão capital do país

Rebeldes da República Centro-Africana assumiram o controle da cidade de Kaga-Bandoro no domingo, a quarta capital regional capturada desde o início da ofensiva do grupo em 10 de dezembro.

AE, Agência Estado

26 de dezembro de 2012 | 12h17

Nesta quarta-feira, os rebeldes da coalizão de Seleka pediram às tropas do governo que baixem as armas e afirmaram que não planejam invadir a capital. A coalizão afirma que o governo não honrou os acordos de paz assinados entre 2007 e 2011, que ofereceriam apoio financeiro e outros tipos de ajuda a insurgentes que largassem suas armas.

"Pedimos a todos os filhos e filhas da África Central e a todas as forças de segurança ainda fiéis ao regime do presidente François Bozize que baixem suas armas imediatamente", afirmou um comunicado da coalizão Seleka. "Para garantir a segurança e proteção dos civis, não consideramos necessário enviar nossas tropas a Bangui, já que Bozize já perdeu o controle do país."

O Comunidade Econômica dos Países da África Central (ECCAS) afirmou nesta quarta-feira que enviará representantes para tentar persuadir os rebeldes e o governo a chegarem a um cessar-fogo. "A ECCAS está enviando uma equipe para tentar um cessar-fogo entre ambos os lados", disse o líder do bloco, Nassour Ouaidou, em Libreville. "Somente depois disso poderemos organizar negociações."

Os rebeldes agora controlam grandes partes do norte e do leste do país. Já o exército do governo está mal equipado e organizado, oferecendo pouca resistência aos rebeldes.

A República Centro-Africana é um país rico em minerais com menos de cinco milhões de habitantes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.