Rebeldes chechenos negam ligação com terroristas

Os rebeldes da Chechênia negaram hoje envolvimento nos ataques terroristas da semana passada nos EUA depois que funcionários russos disseram ter informações secretas ligando os rebeldes a esses eventos. O Serviço Federal de Segurança da Rússia disse na segunda-feira que durante uma operação na Chechênia descobriu um disquete de computador com instruções a respeito de vôos de Boeing, o tipo de avião utilizado nos ataques contra o World Trade Center e o Pentágono. Nesta quarta-feira, as agência de notícias russas também divulgaram um comunicado de funcionários da segurança, que não quiseram ser identificados, dizendo que um dos supostos terroristas lutou na Chechênia ao lado dos rebeldes. O comunicado não deu maiores detalhes.O ministro rebelde de relações exteriores, Ilyas Akhmadov, disse em um comunicado divulgado hoje que as alegações russas eram "uma tentativa encoberta de usar a catástrofe na nação americana, para justificar a luta genocida contra o povo checheno". Ao mesmo tempo, as forças russas na Chechênia colocaram a capital, Grozny, e as cidades de Gudermes e Argun sob medidas de segurança em resposta a uma ofensiva de larga escala dos rebeldes que atingiu essas cidades na última segunda-feira. O Exército russo bloqueou estradas e ruas das cidades e proibiu o uso de veículos por civis, incluindo os funcionários do governo pró-Moscou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.