Rebeldes chechenos rechaçam ultimato de Putin

A "frente russa" da "guerra" declarada pelos Estados Unidos contra o terrorismo internacional foi inaugurada hoje na Chechênia, após a recusa do líder independentista Aslan Mashkadov de aceitar um ultimato do presidente Vladimir Putin para um desarme total das formações armadas rebeldes.Mashkadov, em uma verdadeira declaração de guerra, deu ordens a "todos os comandantes" de estender "a justa luta" a "todo o território da federação até a vitória final", denunciando a arrogância de Moscou, que rechaça as negociações e pede uma "rendição incondicional".Na terça-feira, Putin, em um discurso no qual apoiou a ofensiva norte-americana contra o terrorismo, convidou os rebeldes, acusados de se relacionarem com Osama bin Laden, a iniciarem um desarme "em 72 horas".Moscou excluiu o envio de tropas ao Afeganistão, mas assegurou apoio militar à Aliança do Norte, de oposição aos talebans, e abriu o próprio espaço aéreo.Alguns meios de comunicação em Moscou acreditam que o fim do ultimato coincidirá com o início da ofensiva norte-americana no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.