Rebeldes combatem a 80 km de Trípoli

Líderes africanos dizem que Khadafi concorda em não participar de negociações para acabar com a crise; governo líbio defende consulta popular sobre líder.

BBC Brasil, BBC

26 de junho de 2011 | 20h57

Forças rebeldes e pró governo na Líbia se engajaram em combates neste domingo a cerca de 80 km da capital do país, Trípoli.

O correspondente da BBC Mark Doyle que acompanha os rebeldes disse que estes parecem estar consolidando suas posições cada vez mais próximas da capital.

No entanto, eles vêm enfrentando forte resistência de forças leais ao regime de Muamar Khadafi, diz Doyle.

O porta-voz rebelde Guma el-Gamaty disse à agência de notícias Associated Press que a captura da cidade de Bir al-Ghanam seria um passo importante para uma futura invasão de Trípoli.

Já o ministro da Defesa dos rebeldes, Jalal al-Dgheli, disse à BBC que, embora a maioria deles favoreça tentar entrar em Trípoli a partir das montanhas ocidentais, por causa de sua inferioridade bélica, uma invasão pelo leste pode ocorrer nos próximos dias.

"Os desertores do regime nos dizem que o número de apoiadores de Khadafi é cada vez menor, as pessoas próximas a ele o abandonam e seu círculo diminui diariamente", disse Al-Dgheli.

Khadafi

Neste domingo, líderes africanos disseram que Khadafi concordou em não participar das negociações para pôr fim ao conflito.

Em comunicado após um encontro na África do Sul, o painel da União Africana para a Líbia disse que "apoia a decisão de Khadafi de não participar do processo de negociação".

Ainda no domingo, o governo líbio voltou a defender uma consulta popular sobre se Khadafi deve permanecer ou não no poder.

No entanto, o porta-voz do governo Moussa Ibrahim disse que, mesmo que fosse derrotado nesta consulta, Khadafi não sairia do país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.