Rebeldes continuam ofensiva para conquistar Trípoli

Após tomada de QG de Khadafi, combates explodem no sul e no centro da capital; Khadafi promete 'vencer ou morrer'.

BBC Brasil, BBC

24 de agosto de 2011 | 10h09

Um dia depois da tomada do quartel-general de Muamar Khadafi por rebeldes, a capital da Líbia, Trípoli, voltou nesta quarta-feira a ser palco de intensos confrontos entre insurgentes e forças leais ao regime e de bombardeios da Otan.

Grupos de rebeldes enfrentaram forças leais ao líder líbio em áreas do sul e do centro da capital da Líbia.

A região a leste do aeroporto internacional de Trípoli é um destes campos de batalha. Houve ainda dois bombardeios da Otan sobre a cidade nesta quarta-feira.

Os combates voltaram a explodir apesar da conquista do QG de Khadafi por insurgentes - considerada a área mais bem guardada do país até a invasão, e um dos maiores símbolos do regime.

Durante a noite, Khadafi teve um discurso transmitido por rádio e TV, em que dizia estar em Trípoli e conclamava seus seguidores a resistir à ofensiva rebelde, e a "vencer ou morrer".

Ele disse ainda ter feito uma "retirada estratégica" de seu quartel-general e ter andado pelas ruas de Trípoli "discretamente" e "sem ser visto".

O correspondente da BBC em Trípoli Wyre Davies afirmou, entretanto, que a população local não parece ter acreditado no que Khadafi afirma.

Combates

O paradeiro do líder líbio é desconhecido. Acredita-se que ele ainda tenha uma ampla rede de seguidores nas cidades de Sirte e Sebha, a cerca de 650 quilômetros da capital.

Segundo a agência de notícias Associated Press, Sebha tem uma base da força aérea e, se Khadafi conseguir controlar a cidade, teria a opção de escapar por estradas no deserto para os vizinhos Níger ou Chade.

Um porta-voz rebelde disse à BBC que havia negociações em andamento com a população de Sebha e Sirte, por um fim pacífico do conflito.

Franco-atiradores leais ao regime foram vistos no QG de Khadafi em Bab al-Aziziya, apesar de o local ter sido tomado por rebeldes na noite de terça-feira. Houve tiroteios intensos perto do Hotel Rixos, onde 35 jornalistas estrangeiros estão sitiados por forças leais a Khadafi.

Um líder rebelde disse à agência de notícias AFP que forças pró-Khadafi estavam na estrada que leva ao aeroporto. Segundo a TV Al-Arabiya, forças leais a Khadafi dispararam barragens de artilharia contra as cidades de Zuara e Ajelat, a oeste da capital.

Os rebeldes entraram em Trípoli no fim de semana, e na terça-feira já ocupavam o QG de Khadafi.

O levante contra os 42 anos de regime de Khadafi na Líbia começaram em fevereiro. As forças insurgentes começaram sua campanha pelo leste e em bolsões do oeste do país, antes de iniciar sua ofensiva contra a capital. Bombardeios da Otan contra forças de Khadafi ajudaram a campanha rebelde. A Otan age cumprindo mandato da ONU para proteger a população civil, mas críticos da operação dizem que a aliança militar se aliou aos rebeldes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.