Rebeldes curdos acusam nacionalistas pelo assassinato de três ativistas em Paris

Rebeldes curdos sugeriram ontem que nacionalistas turcos foram os responsáveis pela morte de três ativistas, entre elas Sakine Cansiz (foto), fundadora do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), em Paris. Elas foram encontradas com tiros na cabeça na madrugada de quinta-feira, em um ataque que chocou a comunidade curda e ofuscou as negociações de paz entre Turquia e rebeldes. O primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, rechaçou a suspeita e disse que as mortes são rixas internas dos curdos. Em nota, os rebeldes dizem que o crime foi "premeditado" e advertem que a França será responsabilizada se não encontrar os culpados. A Turquia pôs em alerta suas missões na Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.