Rebeldes curdos consideram insuficiente reforma turca

Rebeldes curdos consideraram insuficientes nesta terça-feira as reformas democráticas propostas na véspera pelo governo da Turquia.

AE, Agência Estado

01 de outubro de 2013 | 11h41

Na avaliação de líderes rebeldes, levantar algumas restrições ao uso do idioma curdo não é o bastante para promover o avanço do processo de paz visando a encerrar 30 anos de conflito armado.

As reformas anunciadas ontem pelo primeiro-ministro Recep Tayyip Ergodan não passam de "migalhas atiradas aos curdos", sustenta o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, por suas iniciais em curdo), segundo nota divulgada pela agência de notícias Firat.

O PKK considerou ainda que as reformas propostas expuseram que o governo não tem "a mentalidade ou a capacidade" de buscar uma solução para o conflito.

Uma declaração mais detalhada do PKK sobre as reformas é esperada para a próxima semana, prossegue a Firat. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiacurdos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.