Rebeldes da Nigéria se entregam diante de plano de anistia

Centenas de militantes leais aos líderes rebeldes da Nigéria entregaram armas neste sábado e aceitaram um plano de anistia do governo, após anos de lutas na região produtora de petróleo do Delta do Níger.

NICK TATTERSALL, REUTERS

03 de outubro de 2009 | 18h14

Os comandantes Ateke Tom e Farah Dagogo, responsáveis por ataques durante muitos anos à indústria petroleira, lideraram a rendição dos militantes.

Tompolo, o último grande comandante que ainda precisa aceitar a oferta de anistia do presidente nigeriano, Umaru Yar'Adua, viajaria à capital Abuya para se encontrar com o governante no domingo, afirmaram autoridades.

A entrega de armas dos militantes se deu horas antes de expirar o prazo para que os rebeldes aceitassem o pacto oferecido por Yar'Adua, há alguns meses.

Os distúrbios na região têm impedido que Nigéria utilize parte de sua capacidade produtiva.

A instabilidade no oitavo produto mundial de petróleo também é citada frequentemente como fator de alta nos preços da commodity.

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAREBELDES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.