Rebeldes da Ruanda matam 45 na República Democrática do Congo

Combatentes atacaram para 'vingar familiares assassinados' em dezembro por milícia local

Efe

06 de janeiro de 2012 | 12h34

KINSHASA - Ao menos 45 pessoas foram assassinadas desde o início do ano por rebeldes das Forças Democráticas de Libertação de Ruanda (FDLR) nos arredores de Shabunda, na província de Kivu do Sul, ao leste da República Democrática do Congo (RDC), informaram as Forças Armadas congolesas.

 

Como afirmou nesta sexta-feira, 6, em seu site a emissora local Radio Okapi, o Exército do Congo afirmou que as FDLR atacaram Shabunda com o objetivo de "vingar familiares assassinados" em meados de dezembro pela Raia Mutomboki, uma milícia de autodefesa da região.

 

Associações de defesa dos direitos humanos de Shabunba contabilizaram que 39 das 45 vítimas foram assassinadas na noite da segunda para terça-feira desta semana em três localidades. Grupos da sociedade civil apontam que além dos mortos, oito pessoas ficaram feridas e várias foram sequestradas e levadas às florestas que cercam a localidade.

 

Os criminosos arrasaram casas, estabelecimentos e os armazéns onde a organização Ação Solidária guardava remédios, e fugiram levando gado e outros bens. Organizações de defesa dos direitos humanos de Shabunda pediram às Forças Armadas que intensifiquem seus esforços para garantir a segurança da população civil.

 

Após os assassinatos, dois batalhões das Forças Armadas baixaram nas localidades, informou o porta-voz do responsável pela divulgação da operação militar, Amani Leo, apontando que até o momento quatro rebeldes da FDLR foram mortos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.