Rebeldes de Uganda declaram cessar-fogo unilateral

A milícia rebelde Exército de Resistência do Senhor, de Uganda, anunciou nesta sexta-feira um cessar-fogo unilateral, que entrou em vigor imediatamente. O líder rebelde Vincent Otti disse à BBC que ordenou a todos seus subordinados que interrompam os ataques contra o Exército do país.Em entrevista por telefone ao programa de rádio BBC´s Focus on Africa, Otti declarou: "Eu, tenente general Vincent Otti, segundo oficial em comando do Exército de Resistência do Senhor, por ordem do general Joseph Kony, chefe do Alto Comando, declaro o cessar unilateral das hostilidades"."Eu ordeno todos os comandantes de campo para que, de efeito imediato, parem com todas as formas de hostilidades contra as forças de segurança da Uganda", disse ele."Espero que o governo da Uganda reaja com reciprocidade a esse gesto de boa vontade, para que as partes em guerra possam finalmente firmar um acordo bilateral que forneça um ambiente de paz para o nosso povo."Negociações de pazO ministro do Interior, Ruhakana Rugunda, afirmou que o governo vai esperar para ver o que acontece no país nos próximos dias.Na próxima semana, as negociações de paz serão retomadas na cidade de Juba, no Sudão. O Exército de Resistência do Senhor recusou-se a mandar seus principais líderes para o encontro. Na quinta-feira, Otti havia dito à BBC que Juba não é um território seguro para os rebeldes, pois há um mandado da Tribunal Penal Internacional contra eles.Na terça-feira, Joseph Kony e o vice-presidente Riek Machar, principal interlocutor do governo sobre o assunto, se encontraram em um território na fronteira entre o Sudão e a República Democrática do Congo.Milhares de civis morreram no conflito que já dura 20 anos em Uganda. Mais de um milhão de pessoas foram deslocadas de suas casas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.