Rebeldes de Uganda têm ordem de matar sacerdotes

Um líder rebelde ordenou a seus combatentes que matem os sacerdotes, espanquem as freiras e destruam as igrejas das missões católicas no norte de Uganda, onde os líderes religiosos tentam mediar conversações entre o governo e os rebeldes em luta há 17 anos, denunciou nesta segunda-feira o arcebispo da Igreja Católica Romana no país. A ordem dada por Joseph Kony, o líder na sombra do Exército de Resistência do Senhor (LRA, por sua sigla em inglês), surpreendeu os clérigos da região majoritariamente católica, disse o arcebispo de Gulu, John Baptist Odama à agência Associated Press. Ele falou por telefone de Gulu, a 360 km ao norte da capital, Kamapala. O arcebispo disse que uma fonte que ele não quis identificar informou-o sobre a ordem dada por Kony, cujo pai foi catequista católico. O porta-voz do Exército, major Shaban Bantariza, disse ter conhecimento da ordem dada por Kony, mas recusou-se a dizer como recebeu a informação. Os rebeldes do LRA não foram encontrados para fazer comentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.