Rebeldes determinam novo cessar-fogo na Libéria

O comando do grupo rebelde Liberianos Unidos para a Reconciliação e Democracia (Lurd) anunciou nesta terça-feira ter ordenado o fim dos combates em Monróvia, capital da Libéria. Em Gana, o porta-voz do Lurd disse que as instruções já foram transmitidas para os rebeldes. No entanto, o correspondente da BBC em Monróvia afirma que um cessar-fogo semelhante foi anunciado por líderes do Lurd fora do país há dois dias, e isso não foi suficiente para impedir os combates na cidade. Pelo menos 90 pessoas morreram só na segunda-feira. Os mortos nos últimos quatro dias já passam de 600, de acordo com o ministro da Defesa da Libéria, Daniel Chea. Pelo quarto dia consecutivo, os combates entre forças rebeldes e o governo são travados em Monróvia, em uma situação que agentes humanitários classificam como "cada vez mais desesperadora". Aproximadamente 250 mil pessoas, que perderam suas casas, não têm como se esconder dos bombardeios e tiroteios. De acordo com agências humanitárias, quem não morrer na guerra ainda será ameaçado por doenças causadas pelo colapso do saneamento. Enquanto o sistema de água da cidade não é reparado, os moradores bebem água contaminada. Suprimentos de arroz e óleo diesel também estão no fim e o porto da cidade, agora nas mãos dos rebeldes, está fechado. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.