Rebeldes em Faluja ainda resistem, dizem EUA

Representantes das forças norte-americanas em Faluja dizem que ainda estão lutando com pequenos grupos de insurgentes, no momento em que a batalha pela cidade entra na segunda semana.Segundo relatos da correspondente da BBC Jennifer Glasse, os EUA dizem que ocupam a cidade, mas que esperam ainda muitos dias de confrontos nos subúrbios do sul.Funcionários iraquianos de agências humanitárias criticaram os militares por não terem permitido a entrada na cidade de um comboio de ajuda, alegando motivos de segurança. O Crescente Vermelho iraquiano disse que há necessidade desesperada por comida, água potável e equipamentos médicos e que centenas de civis ainda estão presos na cidade.O primeiro-ministro Ayad Allawi, disse que a avaliação é falsa, pois seu governo já teria enviado 16 caminhões com ajuda humanitária a Faluja. Os Estados Unidos dizem ter matado, na operação cerca de 1,2 mil pessoas definidas como insurgentes. Pelo menos 38 soldados norte-americanos e iraquianos também teriam morrido.MosulNa cidade de Mosul, no norte, as forças dos Estados Unidos disseram que a segurança nas ruas está aumentando, depois de dias de choques entre rebeldes e soldados iraquianos.O comandante militar norte-americano em Mosul, general Carter Ham, negou à BBC que a cidade tenha chegado a estar sob o controle de rebeldes, mas reconheceu que houve instabilidade nos últimos dias. Segundo Ham, os Estados Unidos vinham esperando que militantes que estavam enfrentando a ofensiva em Faluja fugissem para Mosul, mas até agora o general acredita que poucos conseguiram chegar à cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.