Rebeldes executam 13 réfens no Paquistão, diz polícia

Homens foram seqüestrados na sexta-feira e decapitados como represália à ofensiva do Exército paquistanês

Associated Press e Efe,

27 de outubro de 2007 | 12h53

Militantes islâmicos executaram todos os 13 homens seqüestrados de um microônibus - sete civis e seis membros das forças de segurança do governo -  em uma aparente retaliação contra as ações das forças de segurança paquistanesas que combatem no noroeste do país, confirmou um oficial da polícia neste sábado, 27.   Um alto oficial da polícia, que falou sob a condição de anonimato, confirmou que de acordo com um porta-voz dos rebeldes, todos os reféns detidos na sexta-feira no distrito de Swat foram mortos.   Jehangir Khan, um morador local, afirmou que viu seis corpos decapitados na cidade de Matta neste sábado. Quatro deles foram deixados em uma estrada e outros dois nos arredores de um hospital. Com os cadáveres, foram deixados notas dizendo: "Este é o destino de um agente americano. Qualquer um que trabalhar para a América enfrentará o mesmo destino."   As autoridades paquistanesas tinham ordenado nesta quarta-feira a mobilização de 2.500 soldados para combater os fundamentalistas islâmicos que estão ganhando força na zona, liderados pelo mulá Fazlullah, que pediu que os aldeões lutassem contra o Exército paquistanês.   Na manhã deste sábado, a polícia confirmou que recuperou os corpos decapitados de três militares e um policial do vilarejo de Ningulai.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.