Rebeldes exigem negociação do governo do Congo

Rebeldes do movimento guerrilheiro congolês M23 afirmaram que tomarão a cidade de Goma se o governo do Congo não concordar em negociar com o grupo na segunda-feira. Depois de 12 dias de ocupação, os guerrilheiros se retiraram da parte oriental da cidade neste sábado, conforme o acertado com o governo local.

AE, Agência Estado

02 de dezembro de 2012 | 15h13

Bertrand Bisimwa, porta-voz do movimento, disse neste domingo que os rebeldes não receberam informações sobre a continuidade das negociações. De acordo com Bisimwa, o grupo tomará Goma novamente se as tratativas não começarem dentro de 24 horas.

O porta-voz do governo do país, Lambert Mende, afirmou à agência de notícias AFP que a retirada do M23 de Goma "é um passo na direção certa". O M23 exige que se cumpra o acordo de 2009, que prevê a integração do movimento ao exército do país e ao governo. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Congo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.