Rebeldes filipinos estariam planejando assassinar Arroyo

O governo das Filipinas disse nesta sexta-feira que está investigando uma informação ainda não confirmada de que o motim dos militares acontecido na semana passada também tinha como objetivo assassinar a presidente filipina Gloria Macapagal Arroyo. Segundo o secretário do Interior, Jose Lina, a inteligência filipina disse que a presidente e outras personalidades do país seriam alvos dos militares rebeldes. Nesta sexta, Gloria Arroyo disse que o país não está livre de uma nova tentativa de golpe, mas que os militares que se rebelaram serão acusados formalmente de tentativa de golpe. No domingo, após 19 horas, os soldados que se amotinaram em um centro comercial de Manila se renderam. A presidente já declarou que será candidata na próxima eleição presidencial prevista para maio de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.