Rebeldes iraquianos dizem ter matado italiano

Rebeldes iraquianos afirmam ter matado um cidadão italiano que tentou romper um bloqueio rodoviário da guerrilha, perto de Ramadi. Homens armados e mascarados levaram três jornalistas a uma localidade no deserto, perto de Ramadi, e mostraram a eles o cadáver do italiano, contou um dos repórteres.Fotografias mostram o corpo sem vida, vestindo calças jeans e jaqueta de couro, com uma venda branca nos olhos. Dois dos homens armados e mascarados posaram para a foto com fuzis automáticos apontados para o cadáver. Um passaporte italiano e um visto de residência no Líbano, mostrados pelos rebeldes, identificavam o homem como Salvatore Santoro.Documento da embaixada da Itália em Beirute qualifica o homem como agente humanitário que trabalhava em prol das crianças iraquianas. Um dos rebeldes disse aos jornalistas que o assassinato foi "dedicado à estupidez de Silvio Berlusconi", primeiro-ministro da Itália e forte aliado dos Estados Unidos para a ocupação do Iraque. "Nós alertamos a todos os estrangeiros no passado contra a vinda para o Iraque, especialmente aqueles provenientes de países que participaram da ocupação de nosso território", afirmou o rebelde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.