Rebeldes lançam ataques à infra-estrutura da Colômbia

Supostos rebeldes da Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) realizaram, nas últimas horas, múltiplos atentados contra a infra-estrutura energética e viária do país, em ataques que causaram perdas materiais, mas não vítimas. Em Carmen de Bolívar, cerca de 560 km ao norte de Bogotá, rebeldes dinamitaram nesta quarta-feira um gasoduto, deixando 1.000 pessoas sem gás. Também supostos membros das Farc realizaram um atentado explosivo contra uma ponte que une as localidades de Sincé e San Juan Betulia, cerca de 510 km ao norte de Bogotá.Os locais onde ocorreram os ataques formam parte das "zonas de reabilitação e consolidação" criadas pelo governo do presidente Alvaro Uribe para tentar deter os grupos armados. Com essa medida, os militares ficam autorizados a realizar detenções sem ordem judicial e impor toques de recolher. Segundo informou por telefone o comandante de polícia do departamento (Estado) de Boyacá, coronel Jaime Otero, os rebeldes tentaram, nesta madrugada, explodir uma ponte perto do município da região de Segamoso, cerca de 180 km a noroeste de Bogotá, e dinamitaram outra no município de Mutatá, situado 450 km a noroeste da capital, obstruindo o trânsito de veículos desde Medellín, a segunda cidade do país, até a zona bananeira de Urabá.O comandante do Exército, general Carlos Alberto Ospina, disse que o aumento dos ataques à infra-estrutura econômica e a pequenos povoados é uma "mostra de debilidade" da guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.