EFE
EFE

Rebeldes lançam nova ofensiva após acordo, diz Kiev

Cessar-fogo terá início no domingo, mas presidente ucraniano disse que pediu a todas as partes que encerrem os combates imediatamente

O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2015 | 16h33

KIEV - Os separatistas pró-Rússia lançaram uma ofensiva "para ganhar mais território" depois do fim da reunião em Minsk, Bielo-Rússia, que resultou em um acordo de cessar-fogo na Ucrânia, afirmou o presidente do país, Petro Poroshenko, após a reunião de cúpula da União Europeia. O acordo de cessar-fogo terá início no domingo, mas Poroshenko disse que pediu a todas as partes que encerrem os combates imediatamente.

Segundo o presidente ucraniano, se o novo acordo de paz for violado, os EUA e a União Europeia deverão ampliar as sanções contra a Rússia. "Se o memorando de Minsk for violado, é exatamente uma razão para mais medidas restritivas da União Europeia e dos EUA", disse.

Poroshenko afirmou que também pediu que os líderes da UE acelerem as negociações sobre o livre acesso para os ucranianos que viajam pela região e disse esperar um acordo sobre isso até a reunião marcada para maio em Riga, na Letônia.

A Alemanha e a França elaboraram o cessar-fogo junto com a Rússia para dar fim a quase um ano de combates na Ucrânia, mas alertaram que ainda há muito a fazer para garantir que a decisão não fracasse. / AGÊNCIA ESTADO 

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaPetro PoroshenkoRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.