Rebeldes líbios assumem embaixada em Londres

O conselho rebelde da Líbia assumiu oficialmente a embaixada do país na Grã-Bretanha nesta terça-feira, abrindo suas portas como representante legítimo do povo líbio em Londres.

AE, Agência Estado

09 de agosto de 2011 | 14h22

O secretário de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, William Hague, que convidou o Conselho Nacional de Transição para assumir a embaixada e indicar um enviado especial no final do mês, saudou a medida.

"O Conselho Nacional de Transição é a única autoridade governamental legítima na Líbia. É, portanto, correto que seus representantes estejam agora trabalhando na embaixada líbia", disse Hague. "A medida deixa clara a mudança fundamental que está acontecendo na Líbia."

Ele disse que o líder líbio Muamar Kadafi, cujos diplomatas foram expulsos da Grã-Bretanha no mês passado após o anúncio feito por Hague, perdeu sua legitimidade e tenta agora manter o poder "com desespero cada vez maior".

A embaixada é agora liderada pelo agente diplomático do Conselho Nacional de Transição, Mahmoud Nacua, que abriu oficialmente a missão ao hastear a bandeira preta, vermelha e verde com uma lua crescente e uma estrela, que Kadafi baniu por mais de 40 anos.

Em comunicado, Nacua disse que aquele foi um "momento muito importante", dizendo que "a reabertura da embaixada simboliza o quão longe chegamos".

Ele prometeu que a missão diplomática vai "servir à toda comunidade líbia, independentemente de suas alianças políticas" e agradeceu o governo britânico por seu "apoio inabalável".

A Grã-Bretanha é um dos principais países da aliança da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que realiza bombardeios aéreos contra o governo de Kadafi desde março, quando a Organização das Nações Unidas (ONU), aprovou a ação para proteger civis. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GBLÍBIAREBELDESEMBAIXADA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.