Rebeldes líbios retomam posto na fronteira com Tunísia

Rebeldes líbios recapturaram hoje o posto de fronteira da cidade de Dehiba, na divisa com a Tunísia, após confrontos que mataram oito soldados das forças leais ao líder Muamar Kadafi, disseram fontes.

AE, Agência Estado

28 de abril de 2011 | 17h21

Foram registrados confrontos na zona ao redor do posto fronteiriço no lado líbio entre rebeldes e forças ligadas a Kadafi, disse uma testemunha. Várias ambulâncias da Tunísia cruzaram a fronteira para retirar os feridos.

Segundo uma das fontes, combatentes ligados a Kadafi foram levados a um hospital na cidade de Tataouine, na Tunísia. Horas antes, as forças de Kadafi haviam tomado o posto de controle de Dehiba, que haviam tomado o local em 21 de abril.

Mais de 5 mil líbios cruzaram a fronteira pela passagem de Dehiba nas últimas 48 horas, informou um policial, que falou em condição de anonimato. Segundo ele, 3.100 pessoas cruzaram a fronteira em Dehiba ontem e 2.050 no dia anterior. Dehiba fica a cerca de 200 quilômetros ao sul de Ras Jdir, o principal ponto de fronteira entre a Líbia e a Tunísia.

Julgamento

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, disse hoje que a Corte Internacional de Justiça (CIJ), em Haia, deveria investigar para determinar se o governante da Líbia embarcou milhares de refugiados em barcos e os enviou para o alto-mar, em viagens nas quais as vidas das pessoas foram arriscadas no Mediterrâneo até a costa da Itália.

Frattini voltou a dizer que Kadafi deveria deixar o poder. Ele afirmou que "ninguém quer ver" o governante líbio morto, mas que ele deveria ser levado a julgamento. Desde o começo da guerra civil na Líbia, em fevereiro, centenas de milhares de imigrantes deixaram o país, onde viviam e trabalhavam. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.